Vamos aprender os conceitos-chave da metodologia Lean Startup e MVP (Minimum Viable Product) que podem ajudar empreendedores e equipes a validar ideias, desenvolver produtos e construir modelos de negócios de sucesso!

A metodologia Lean Startup, criada por Eric Ries, oferece uma abordagem ágil e focada em feedback para transformar ideias em negócios escaláveis. Já o MVP é uma versão inicial do produto com recursos suficientes para atrair os primeiros clientes e coletar aprendizados.

Torne-se um gerente de produto aprendendo tudo na prática!

O que é a metodologia Lean Startup?

A metodologia Lean Startup foi proposta por Eric Ries e apresentada em seu livro “The Lean Startup”, lançado em 2011. Ela oferece um framework para desenvolver negócios e produtos disruptivos e inovadores em ambientes de extrema incerteza.

A abordagem Lean Startup é baseada em três pilares principais:

Construir (Build): desenvolver uma versão inicial do produto (MVP)Medir (Measure): coletar dados e feedback dos clientes sobre o MVPAprender (Learn): analisar os resultados e aprendizados para melhorar o produto e modelo de negócios

Esse ciclo de construir-medir-aprender permite que as startups testem de forma rápida e barata suas principais hipóteses e pressupostos sobre o produto e mercado. Elas podem então usar esses aprendizados para pivotar (fazer uma mudança significativa no modelo de negócios) ou perseverar (continuar no mesmo caminho) de forma mais assertiva.

Em vez de elaborar um plano de negócios detalhado, a metodologia Lean Startup foca em colocar uma versão simples do produto no mercado o mais rápido possível para entender se os clientes têm interesse e estão dispostos a pagar por ele. Esse processo contínuo de experimentação e aprendizado permite reduzir riscos e incertezas.

Alguns dos principais ensinamentos do Lean Startup incluem:

  • Eliminar a incerteza através de testes e validação contínua
  • Trabalhar com mais experimentos e não com mais elaboração de planos
  • Desenvolver um MVP (Minimum Viable Product) para testar hipóteses
  • Validar aprendizados e tomar decisões informadas

Em resumo, a metodologia Lean Startup oferece um guia prático de como iniciar e desenvolver um negócio disruptivo de forma mais ágil e focada no cliente.

O que é um MVP (Minimum Viable Product)?

O MVP ou Minimum Viable Product (Produto Mínimo Viável, em tradução literal) é uma versão inicial de um produto com recursos limitados suficientes para atrair os primeiros clientes e coletar feedback valioso sobre possíveis melhorias.

De acordo com Eric Ries, o MVP deve permitir “a uma equipe começar a processar ciclos de construir-medir-aprender o mais rápido possível”. Em outras palavras, o objetivo do MVP é validar aprendizados sobre o produto e modelo de negócios com o menor esforço possível.

O MVP foca em resolver apenas o problema principal do cliente de forma simples, em vez de tentar construir um produto completo desde o início. Ele tem apenas os recursos essenciais para os primeiros usuários obterem valor e é lançado rapidamente para começar o processo de aprendizado.

Algumas características importantes do MVP:

  • Foco em uma funcionalidade principal ou conjunto mínimo de funcionalidades
  • Qualidade e design simplificados
  • Poucos recursos e custo baixo de desenvolvimento
  • Objetivo é testar hipóteses e aprender, não necessariamente gerar receita no início

Um exemplo de MVP é o teste de uma landing page de captura para avaliar o interesse em um produto antes mesmo de construí-lo. Outros exemplos são versões beta e trial de produtos digitais.

O MVP permite que startups validem ideias e aprendam rapidamente com o mercado antes de construir um produto mais complexo. Ele acelera o processo de desenvolvimento e reduz riscos de construir algo que os clientes não queiram.

Vantagens do MVP e da metodologia Lean Startup

Adotar a metodologia Lean Startup e trabalhar com um MVP traz diversas vantagens, incluindo:

Velocidade: lançar um MVP simples permite obter feedback dos clientes de forma muito mais rápida do que construir um produto completo. Isso acelera o aprendizado e o desenvolvimento.

Teste de hipóteses: o MVP permite testar hipóteses sobre o produto e mercado de forma barata e ágil.

Aprendizado validado: os testes com o MVP e clientes reais geram aprendizados validados, não apenas suposições, sobre o que precisa ser melhorado.

Foco no cliente: há um foco maior em falar com clientes e entender suas necessidades, em vez de depender apenas da visão dos fundadores.

Redução de riscos: como menos recursos são investidos no início, o risco financeiro do projeto é menor.

Economia: MVPs exigem muito menos investimento, tempo e pessoas do que construir um produto completo logo no início.

Em resumo, a abordagem Lean Startup com MVP ajuda a transformar ideias em negócios de sucesso de forma mais rápida e eficiente. As chances de validar aprendizados e “acertar” um produto que os clientes realmente desejam e vão pagar por ele são muito maiores.

Como desenvolver um MVP?

A seguir, confira um passo a passo de como desenvolver um MVP para sua startup:

1. Identifique o problema ou necessidade do cliente

Primeiro, é preciso ter clareza sobre qual é o principal problema ou necessidade que você está resolvendo para seus clientes. Foque em entender a fundo essa dor.

2. Defina a proposta de valor

Depois, defina qual será o valor/benefício específico que seu produto trará para o cliente ao resolver aquele problema.

3. Mapeie as funcionalidades essenciais

Liste quais são as poucas funcionalidades absolutamente necessárias para entregar aquele valor/benefício proposto e resolver o problema prioritário. Cortar ao máximo possível!

4. Estabeleça as métricas chave

Identifique quais são os principais indicadores de sucesso e métricas que você precisa acompanhar para saber se seu MVP está no caminho certo (ex: taxa de inscrição, conversão em vendas, NPS etc).

5. Desenvolva uma versão enxuta, mas funcional

Com base nas funcionalidades mapeadas, desenvolva ou monte uma versão muito enxuta, mas funcional do produto. O visual e a experiência de uso não precisam ser perfeitos.

6. Colete feedback dos primeiros clientes

Deixe os primeiros clientes testarem seu MVP, colete feedback qualitativo (opiniões) e monitore os indicadores quantitativos definidos.

7. Aprenda e refine de forma contínua

Analise os resultados e aprendizados. Refine o MVP de forma contínua com novas versões até encontrar o produto certo para o mercado.

Esse processo cíclico de testes e aprendizado é fundamental para aumentar as chances de sucesso e “acertar” um produto desejado pelos clientes.

Lean Startup na prática: histórias de sucesso

A metodologia Lean Startup e o MVP têm sido adotados por diversas startups de sucesso ao redor do mundo, permitindo-as crescer rapidamente. Veja alguns exemplos:

Dropbox

Antes de construir a primeira versão do Dropbox, Drew Houston criou um vídeo simulando como o produto funcionaria e o utilizou em uma landing page para capturar e-mails de interessados. O experimento permitiu validar a demanda pelo produto antes mesmo do desenvolvimento.

Airbnb

Quando iniciou, a Airbnb oferecia apenas colchões de ar para viajantes. Os founders personally trabalharam como anfitriões, tirando fotos e providing acomodações aos primeiros usuários para entender dores e necessidades. O foco no aprendizado permitiu que a Airbnb evoluísse muito desde então.

Zappos

A Zappos começou vendendo apenas sapatos de uma marca específica. O site e experiências foram melhorados de forma iterativa com base em feedback contínuo dos usuários. Isso foi crucial para a Zappos se tornar uma das maiores lojas online de calçados do mundo.

Esses e muitos outros casos mostram na prática os resultados positivos da metodologia Lean Startup e do MVP.

Conclusão

A metodologia Lean Startup proposta por Eric Ries e conceitos como o MVP fornecem um guia prático para transformar ideias em negócios de sucesso de forma mais rápida e eficiente.

Ao invés de elaborar longos planos de negócios, a abordagem foca em colocar uma versão enxuta do produto no mercado e melhorá-lo de forma iterativa com base no feedback dos clientes.

Isso acelera o aprendizado, reduz riscos e aumenta muito as chances da startup desenvolver algo que os clientes realmente desejam – validando se há demanda e disposição em pagar pelo produto antes de investimentos maiores em desenvolvimento.

Portanto, empreendedores e equipes que desejam aumentar as chances de sucesso de novas empresas e produtos podem se beneficiar muito em estudar e aplicar esses conceitos na prática.

Torne-se um gerente de produto aprendendo tudo na prática!