Qual empresa não precisa de equipes de processos com maior rapidez e assertividade? Além de atingir bons resultados, esse diferencial tende a satisfazer as pessoas que precisam repeti-los todos os dias!

É exatamente isso que as metodologias ágeis podem proporcionar. Sendo as melhores alternativas para entregas corporativas ou até mesmo em tarefas pessoais.

Mas existem diferentes métodos que cumprem com as mesmas finalidades (ou muito semelhantes). Por isso, muitas empresas têm dúvidas sobre qual adotar.

Se você tem essa dúvida e está pesquisando sobre as possibilidades, certamente já ouviu falar tanto sobre o Scrum quanto do Kanban, não é? Afinal, essas são duas das metodologias mais conhecidas por incorporarem os princípios do Agile e do Lean.

A grande questão é que ainda existe muita confusão entre tais mecanismos/conceitos.

Sim! Nós sabemos que eles são muito semelhantes. E tem mais! Ainda compartilham as mesmas origens. Contudo, é inegável que cada um tem suas vantagens, o que converge em algumas diferenças cruciais entre as ferramentas.

Para que você saiba ao certo qual seria o mais adequado para desenvolver os seus projetos atuais ou saber qual é mais eficiente para alguma situação futura, hoje vamos apresentar informações mais aprofundadas sobre esses métodos.

Confira a seguir quais são os tópicos que vão esclarecer todo esse assunto até o final do conteúdo:

Sumário

O que é Scrum e Kanban?

Vamos logo ao que interessa! Entenda o que é Scrum e o que é Kanban:

  • Scrum = o Scrum é, basicamente, uma estrutura que facilita a colaboração entre membros de uma equipe para a conclusão de trabalhos. Esse método tem alto impacto nos processos porque tem uma estrutura completa. 

Com isso, dá pra dizer que o Scrum é indispensável para que as equipes consigam trabalhar juntas. Ele consegue fazer isso justamente porque estimula os times, de forma que todos aprendam por meio de experiências reais e também alcancem a melhor organização possível na hora de resolver os problemas que surgem ao longo da rotina;

  • Kanban = por sua vez, o Kanban já define uma estratégia para gestão visual de projetos mais eficientes, representando o campo onde todo o trabalho é exibido. 

Esteticamente, funciona como um quadro de colunas que representam os estágios dos processos de trabalho. Podemos dizer que o Kanban é um método útil para gestão de  criação de produtos, por exemplo.

Essa ferramenta permite uma visão contínua das entregas, o que evita a sobrecarga da equipe num todo.

Lembra que mencionamos que esse quadro tem colunas diferentes? Então, elas existem para informar ao gerente do projeto qual é o status dos processos em tempo real. Inclusive, o gestor responsável consegue identificar com facilidade quais são as tarefas com pendências e quais são as demandas em andamento. 

Diferenças entre Scrum e Kanban

Foto de parede com scrum e kanban.
FREEPIK

Ainda que seja aparentemente fácil pontuar as diferenças entre as práticas do Scrum e do Kanban, tudo isso ainda é apenas superficial. 

Enquanto o Scrum é usado com mais frequência por equipes multifuncionais (principalmente as de desenvolvimento), o Kanban já não tem atribuições tão específicas. 

Esse segundo método é usado por qualquer pessoa envolvida em algum projeto, sendo que qualquer um dos envolvidos pode desenvolver as demandas e concluir as tarefas que estão distribuídas no quadro.

Veja mais alguns pontos que diferem os mecanismos:

  • Entregas – enquanto as entregas do Scrum são feitas quando um sprint é finalizado e validado pelo Product Owner, no Kanban não há uma especificação sobre como elas devem ser realizadas. Portanto, a decisão sobre como finalizar as tarefas fica ao critério da equipe;
  • Mudanças – falando sobre mudanças, o Scrum não é a melhor ferramenta para lidar com mudanças no sprint. Nesse caso, o cenário ideal é que todas as atividades solicitadas sejam mantidas sempre que possível. No Kanban já é diferente! As mudanças são aceitas a qualquer momento justamente porque não interrompem o ritmo de entrega estabelecido;
  • Equipes – como já falamos, as equipes que usam o Scrum normalmente são multifuncionais para que se tenha um projeto ágil de verdade. No Kanban não há nenhuma restrição, o que indica que é mais propício para o uso de ambientes com equipes de especialistas e demandas mais específicas;

No geral, percebemos que as duas metodologias ágeis são muito importantes para o meio corporativo

As empresas que souberam como adotá-las, devem ter um desenvolvimento incremental e somar o seu uso com o feedback constante de todos que estão utilizando o mecanismo como uma garantia de conseguir alcançar um produto final de alta qualidade. 

Reunindo tudo isso, consideramos que tanto a escolha pelo Scrum quanto pelo Kanban vai agregar positivamente o desenvolvimento e crescimento de qualquer empresa.

É certo que são práticas diferentes, mas grande parte dos princípios são os mesmos, culminando em processos conduzidos e solucionados com menos complicações.

Qual o objetivo de cada um?

Para trazer mais clareza, é preciso falar sobre os objetivos de cada um deles. 

O Kanban tem mais a ver com as seguintes partes de um trabalho: visualização, limitação do que está em andamento e maximização da sua eficiência (ou fluxo). 

Isso é um resumo do que as equipes que usam Kanban costumam ter como principal foco, já que a prioridade de quem escolhe esse método é a redução do tempo.

O Kanban realmente consegue agilizar processos do início ao fim, no entanto, para alcançar esse tipo de objetivo, os profissionais que usam um quadro Kanban precisam se dedicar em melhorar o fluxo de trabalho sempre.

Agora vamos falar do Scrum! Como essa é uma ferramenta que se compromete com a conclusão quando há um incremento de trabalho, o objetivo desse método é principalmente criar ciclos de aprendizagem que reúnam e integrem com antecedência o feedback de clientes.

As equipes que optam por usar Scrum, acabam adotando papéis específicos. É por isso que criam artefatos especiais e passam a realizar cerimônias regulares, mantendo o avanço de cada atividade. 

Qual o melhor: Scrum ou Kanban?

Foto de scrum e kanban.
FREEPIK

Por definição e natureza, o Scrum e o Kanban são ágeis. O trabalho de ambos é comprovado e 100% verdadeiro, então, é até difícil argumentar contra algum deles. 

Como foi retratado acima, existem vantagens que vão pesar mais para determinadas situações e são elas que implicam na escolha final. 

O Kanban é melhor para equipes que precisam administrar muitas solicitações, as quais podem variar em prioridade e tamanho. 

O Scrum também fica em uma posição pior quando se trata de flexibilidade no trabalho, já que exerce alto nível de controle sobre o que está no escopo. O Kanban permite que os seus usuários sigam o fluxo.

Todavia, quando os projetos são gerenciados por equipes, o próprio nome do método sugere que a escolha seja o Scrum, porque seus recursos ágeis que fazem mais sentido para esse tipo de tarefa. 

Quando tiver que escolher, pense o seguinte: ao invés de implementar uma estrutura definitiva logo no primeiro dia, à medida que aprende como cada uma delas funciona para a sua equipe (e o que não funciona), você pode acrescentar recursos que vão solucionar os problemas da rotina.

E o Lean? O que é?

Se você leu desde o começo, percebeu que mencionamos também outro termo além de Scrum e Kanban. O Lean, que é uma filosofia de gestão traduzida do inglês como “enxuto”, foi mencionado por aqui. 

Essa filosofia é utilizada com o mínimo de recursos. Isso reduz ou até elimina as atividades que não estão agregando valor algum ao processo por meio da identificação de desperdícios (proposta da própria metodologia).

Ao identificar e reduzir/eliminar os desperdícios, você tende a aumentar a quantidade de atividades que podem agregar valor e também diminuir as que não agregam.

Tudo isso é feito visando melhorar qualidade, diminuir custos e aperfeiçoar as entregas da empresa (que podem ser produtos ou serviços).

Independente de como for aplicado, o Lean mantém o foco na execução do processo até que estejam em sua forma mais enxuta.

Em um negócio ou até dentro das empresas, com certeza existem vários recursos que não são bem utilizados. É o mesmo que dizer que são desperdiçados. Então, a filosofia Lean proporciona muitos benefícios a todas elas (especialmente quando é preciso investir no aumento de produtividade e competitividade). 

Podemos dizer que a qualidade de desempenho tanto das atividades, quanto do atendimento e do produto final é um ponto que destaca o uso de Lean. 

Vale lembrar que o foco é totalmente direcionado ao cliente. Assim é possível enxergar com clareza quais são as necessidades do mercado e transferi-las ao produto ou ao serviço.

Scrum e Kanban fazem parte do que chamamos de Lean.

Scrumban

Agora que já conhecemos o Scrum e o Kanban como representantes relevantes dos métodos Ágeis, chegou a hora de falarmos sobre Scrumban.

Recapitulando… o Scrum é a metodologia mais adequada para projetos de produtos e de desenvolvimento. O Kanban já é melhor para ser usado como um suporte de produção.

Por que não unir essas forças para ter uma solução que possa integrar as vantagens de cada um?

Scrumban é exatamente essa metodologia! Em outras palavras, podemos dizer que é um método híbrido de Scrum e Kanban (como o próprio nome indica).

Graças a tal diferencial, o Scrumban vem se tornando muito mais popular entre as empresas e indústrias das mais diversas especialidades, especialmente as que lidam com projetos de desenvolvimento e manutenção.

A base do Scrumban nada mais é do que um sistema puxado. Ou seja, a equipe não fica responsável por planejar o trabalho durante um sprint (como acontece no Scrum sozinho). O refinamento pode ser feito continuamente, a qualquer momento.

Ou seja, o Scrumban usa a melhoria de processo do Kanban para permitir que a equipe melhore seu processo. 

Com esse sistema, o fluxo torna-se mais suave à medida que o processo é melhorado. Porém, o Scrumban não é usado com sprints iterativos. 

Na verdade, o trabalho costuma ser realizado continuamente dentro dos limites de uma equipe.

Mas assim como no Scrum, o Scrumban permite que o Product Owner fique responsável pela priorização da lista de pendências, que o Scrum Master atue como um gestor de processo e a equipe de desenvolvimento fique com a implementação e com o planejamento. 

Além disso, o Scrumban também é eficiente para regular eventos do Scrum, como uma reunião de alinhamento diária e/ou retrospectivas.

Se quer saber se esse seria o melhor método para você, entenda que o Scrumban acaba sendo mais útil para equipes que são mais dependentes de terceiros. 

Então, se você e sua equipe precisam fazer acordo com fornecedores e prestadores de serviços, o Scrumban é a melhor escolha (já que esses contatos são baseados em contratos que podem não estar sincronizados com o ciclo de sprints internos). 

Conclusão

FREEPIK

Se você chegou até aqui, pôde perceber que os modelos já são naturalmente complementares, na verdade! E esse complemento acontece de uma forma bem eficiente. 

Os dois se apoiam na flexibilidade! Isso significa que se esse é o seu objetivo, os dois funcionam. 

Assim que tomar uma decisão e fazer sua escolha, o ideal é conhecer muito mais a fundo essa metodologia. É a melhor forma de ver se os seus elementos realmente representam o que você precisa e ver o que faz sentido para sua empresa.

Podemos concluir com isso que, ao fazer uma escolha, é mais interessante ficar com a ferramenta adotada por um tempo e concluir vários processos até o fim. 

Nesse tempo, aproveite para colher feedbacks de todos os usuários da empresa, analisar se os outros métodos suprem as necessidades que ainda representam problema no dia a dia e depois avalie em conjunto com os gestores se é melhor ficar com a primeira eleita ou optar pela troca.