Quem se envolve com qualquer estratégia de marketing certamente já ouviu falar sobre o copywriting, afinal, esse termo define o processo de produção de textos persuasivos para vendas.

Ou seja, para produzir os conteúdos digitais de anúncios, e-mails, catálogos, sites e até mesmo cartas de vendas, você deve usar técnicas de copywriting.

No caso, o responsável por desenvolver esse texto (tecnicamente conhecido como copy) é conhecido como copywriter.

O que é copywriting?

Para podermos falar sobre o que é copywriting, é justo olharmos um pouco atrás e refletir sobre os reais propósitos de se escrever. 

Ao escrever, podemos ter diferentes propósitos. No marketing, o objetivo da escrita é especificamente convencer o público-alvo de algo (que seja comprar um produto, contratar um serviço ou ao menos concordar/apoiar uma ideia).

Portanto, seguindo essa linha de raciocínio, o grande propósito da escrita na área do marketing está 100% relacionado com o copywriting. 

Mas o que é copywriting? Bom, copywriting é o ato de produzir textos. Sendo assim, entendemos que copys são os conteúdos que cumprem com a finalidade de guiar a audiência em momento de tomada de uma decisão. Alguns exemplos são: slogans, posts, e-mails, entre outros.

Como foi mencionado, tal tomada de decisão leva um cliente a fazer uma compra direta quando falamos de um produto, a contratação de um serviço (sendo este recorrente ou não) e até outra ação que esteja voltada a uma ideia ou conceito (como apoiar uma causa, por exemplo).

Sabendo disso, é possível perceber que um texto que consegue convencer a audiência de algo tem a qualidade que as copys precisam. Inclusive, é assim que se pode diferenciar um bom copywriting dos outros que não funcionam. 

Se você está se perguntando o que seria um bom copywriting, precisa ler esse conteúdo até o final. 

Esse conceito é avaliado com base em várias questões. E vale lembrar que a popularização das estratégias digitais nos últimos anos, os parâmetros de qualidade também continuaram sendo atualizados.

Se você costumava lidar com marketing há 10 anos atrás, por exemplo, precisa renovar o olhar em relação ao que é bom e eficiente para os dias atuais.

Antes o foco era fazer uma boa propaganda. Hoje, é preciso que qualquer ação traga também informação ao público-alvo. 

Em outras palavras, podemos dizer que o foco das estratégias atuais valorizam mais a transmissão de informações que agreguem valor ao seu público do que somente um texto que consegue vender.

As boas práticas para passar essa informação fazem parte de um bom copywriting.

Mais do que vender algo que você acha bom (ou precisa mostrar que é bom), é preciso responder às dúvidas dos consumidores e sanar suas dores oferecendo a solução completa.

Para entender melhor, veja como o copywriting se aplica no marketing.

Como se aplica o copywriting no marketing?

Já deu pra ver que a relação entre marketing e o conteúdo de copywriting é bem estreita.

Apesar de não ser nenhuma técnica nova (tendo pelo menos mais de 100 anos de existência), o copywriting ganhou uma nova vida com a transformação digital e agora está entre novas estratégias de marketing.

Isso porque o copywriting passou a fazer parte do marketing de conteúdo, cumprindo com os seguintes requisitos: 

  • Atrair pessoas;
  • Engajar seu público;
  • Educar sua audiência.

Para tudo isso realmente acontecer, conteúdos são criados como materiais segmentados para determinado público-alvo. 

Os profissionais de copywriting se baseiam em alguns pontos além das características do que está sendo vendido, já que consideram as demandas e dificuldades das pessoas que estão precisando do que está sendo anunciado.

Logo, é possível concluir que copy funciona como um pilar para as táticas de marketing de conteúdo.

Para produzir textos seguindo as técnicas de copywriting (que você conhecerá ao decorrer desse texto), os profissionais de marketing precisam planejar um funil de vendas.

Esse funil será útil para que os conteúdos sejam planejados e estruturados da forma correta, seguindo a lógica de comportamento diante do momento.

De forma simples, funciona da seguinte forma: 

  1. Os conteúdos do topo de funil são produzidos para estratégias que atingem pessoas que ainda não estão convencidas da compra;
  2. Em seguida, os conteúdos do meio do funil vão servir para impactar pessoas que estão considerando a compra;
  3. Por fim, os conteúdos para fundo de funil são mais curtos e diretos, já que servem para pessoas que já querem concluir a compra e só precisam encontrar a solução ideal.

Enquanto o usuário é impactado com esses textos descritos acima e atendem ao CTA (call to action), começa a seguir essa jornada. 

À medida que a pessoa vai se aprofundando no assunto, vai evoluindo nas etapas do funil em busca de encontrar outros materiais úteis para o que está passando.

Diante disso tudo, fica fácil de entender que uma boa copy é fundamental para conseguir conduzir a conversão e estimular leitores que precisam agir. 

Por isso, concluímos que o copywriting é o recurso perfeito para o sucesso do marketing de conteúdo.

Importância do copywriting?

Se chegou até aqui, é bem provável que você já esteja entendendo o quanto é importante trabalhar com copywriting em suas ações de marketing. Mas se você quer ir mais fundo, temos como ajudar!

Percebendo que o copywriting é um elemento fundamental para que um conteúdo seja eficiente, fica evidente que não pode ser feito de qualquer forma.

A copy deve conduzir o leitor a tomar uma atitude naturalmente, portanto, o autor precisa agir de modo estratégico e pré-estabelecido.

Ao conciliar todos os diferentes formatos de conteúdo em uma estratégia, toda copy precisa ser relevante e envolvente ao ponto do leitor considerar seu canal de comunicação como principal fonte de informação sobre o assunto.

Enfim, usar o copywriting é importante para diferentes formatos de conteúdo em canais de comunicação porque pode:

  • Levar informação às pessoas sobre produtos e serviços;
  • Oferecer conhecimento com conteúdos relevantes sem diretamente pedir nada em troca;
  • Trabalhar o engajamento e segmentação do público;
  • Aumentar e solidificar a credibilidade da marca;
  • Passar confiança aos leitores;
  • Criar uma conexão com o público e apreciadores da marca;
  • Gerar mais criatividade e incentivar uma pesquisa aprofundada para a elaboração de conteúdos novos.

Técnicas de copywriting

Foto de pessoa fazendo copywriting

Você já sabe como o copywriting está inserido no marketing e que é muito importante para esse mercado. Mas qual é o segredo, então, para conseguir produzir copys?

Os principais responsáveis pelo sucesso do copywriting são criatividade e conhecimento sólido sobre seu público-alvo. 

Esses aliados sustentam a criação de textos não só persuasivos, como também eficientes.

Felizmente, existem algumas técnicas de copywriting que podem ser usadas para nortear todo o processo que profissionais encarregados por essa tarefa precisam seguir.

Conheça algumas delas agora:

  • Crie CTAs claros e objetivos;
  • Procure usar verbos de ação sempre que possível (mas sem exageros);
  • Lembre-se de usar números e dados de pesquisas para passar mais confiança;
  • Sempre que houver objeções e receios em algum assunto, aborde tais temas logo de início;
  • Evite usar palavras complicadas (a não ser que sua aplicação faça algum sentido para o público-alvo envolvido ou se, de alguma forma, possa gerar algum insight criativo que vai ser entendido pela audiência de primeira);
  • Faça perguntas que vão estimular respostas positivas;
  • Concentre todo o foco do conteúdo nos atributos bons que seu produto/serviço/marca tem.

O que é preciso para ser um copywriter?

Diferente do que muitas pessoas pensam, não são só as pessoas que nasceram com habilidades de comunicação que têm capacidade de escrever bem. Aliás, isso não é algo que nascemos sabendo fazer.

Da mesma forma que treinamos um músculo do corpo, podemos aperfeiçoar a produção de conteúdos para marketing exercitando-a.

Se quiser um conselho sincero para começar a criar conteúdo, o nosso é o seguinte: comece a escrever. 

A princípio você fará isso sem muita estratégia ou se quer entendendo de fato tudo que é necessário para ter todos os resultados esperados com seus textos. Depois, você terá o  parâmetro suficiente para saber quais assuntos mais agradam a audiência, além de identificar as melhores maneiras de apresentar produtos e serviços.

No caso de copywriting profissional, também recomendamos investimentos em cursos que te ajudem a chegar mais rápido ao ponto de qualidade necessário (principalmente se sua intenção é trabalhar com anúncios, já que pode desperdiçar dinheiro com campanhas que não geram resultados para seu negócio).

Qual o salário de um copywriter?

De acordo com o Glassdoor, a média salarial de um copywriter no Brasil atualmente é de R$3.500 – podendo variar disso no início de carreira (quando um Copywriter CLT ou freelancer ganha cerca de R$1.500) e chegar a R$10.000 por mês.

Para falar de salário, também precisamos lembrar que trabalho é muito mais do que o meio para pagar boletos e cumprir com suas obrigações. Afinal, você vai dedicar a maior parte do seu tempo à ele. 

Com isso, queremos dizer que antes de considerar o valor de um salário em si, você precisa saber quais são as principais vantagens de se especializar em copywriting.

Algumas delas são: liberdade, autonomia e poder trabalhar de casa, cafés, padarias ou mesmo da praia (desde que esteja com os recursos necessários para realizar entregas de qualidade).

Diante disso, a remuneração é apenas mais uma vantagem da profissão copywriter.

Levando em consideração que o salário mínimo em 2023 será R$1.320 a partir de maio, os copywriters iniciantes já começam ganhando mais do que 35,63% da população brasileira que tem renda mensal de até um salário mínimo (segundo dados do IBGE/2022).

Mesmo como um copywriter CLT, você também terá a chance de ir além e fazer muito mais dinheiro com suas palavras se precisar complementar a sua renda.

Como a DNC pode te ajudar?

Está interessado (a) em conhecer mais sobre escrita persuasiva? Você pode começar a ler materiais dedicados especificamente a esse assunto, como o livro As Armas da Persuasão, que explica o que são gatilhos mentais e como eles podem ser ativados com conteúdos.

Ainda temos outra dica de um livro nacional, como o Copywriting – Volume 1: O Método Centenário de Escrita mais Cobiçado do Mercado Americano, do Paulo Maccedo. 

Para finalizar, guardamos a dica de ouro, direcionada especialmente a quem quer ir bem mais fundo. Estamos falando sobre o curso de Formação em Marketing da Escola DNC. 

Dentro desse curso existe um módulo específico para copywriting, o qual passa por todos os pontos discutidos nesse texto e traz mais exemplos de como aplicar a escrita persuasiva. 

Com a gente você pode aprender a ser um profissional de marketing completo, desenvolvendo uma visão multidisciplinar das principais estratégias responsáveis por alavancar resultados de grandes empresas e as habilidades necessárias para isso.

Conclusão

Notavelmente, o copywriting pode e deve ser aplicado em todo conteúdo de marketing e vendas, o que inclui texto para blogs, publicações em redes sociais, desenvolvimento de infográficos, e-mails e até e-books ou webinars.

Todavia, ficou claro que você precisa mais do que saber onde utilizar as técnicas de copy. O diferencial está em se preocupar sobre como essas peças devem ser feitas.

O planejamento estratégico é indispensável para a produção de conteúdos dos materiais corretos para o perfil do seu público e também para ter assertividade em cada etapa do funil de vendas. 

Use este guia sempre que precisar esclarecer suas dúvidas sobre Copywriting e adote nossas dicas para ter estratégias de sucesso. Além disso, conte conosco para atualizar os seus conhecimentos na área!